domingo, 14 de outubro de 2012

Foz do Cobrão

Há já algum tempo que tinha falado ao João de um percurso na Foz do Cobrão, uma das várias aldeias de xisto existentes, que me parecia excelente para uma corridinha. Há já alguns anos havia por lá passado de bike com o Nuno e o Filipe aquando da preparação para o Geo-raid. Logo nos primeiros metros reparámos ser impossível fazê-lo de bike e como nenhum de nós corria na altura (acho eu) deixámo-lo para fazer a pé numa outra altura.


O João que está sempre pronto para correr e descobrir sítios novos disse logo que sim. Ontem foi esse dia. Combinámos de manhã, sem ser cedo demais e lá nos fizemos primeiro à estrada e depois aos trilhos. Depois dos preparativos arrancámos. Ontem era dos dias em que estava mesmo com vontade de andar por aí aos saltos de pedra em pedra. E assim foi. Os primeiros metros foram a descer mas logo depois entrámos no trilho. Este trilho segue durante alguns quilómetros numa das encostas do rio Ocreza levando-nos quase até às portas do Almourão. Um cenário lindíssimo que parece proporcionar-nos a entrada numa outra dimensão. Esta parte inicial é fantástica. Muito técnica, obrigando a uma constante atenção ao sítio onde se coloca os pés. É um sobe e desce constante e apesar de nos pôr ofegantes, nem sequer reparamos nisso devido à diversão que nos proporciona. Rochas por todo o lado, pedras soltas e vegetação que nos abraça, tornam este, um verdadeiro trilho de trail. É impossível não gostar de se correr por ali.





Depois desses primeiros quilómetros, entramos no típico caminho florestal, muito menos interessante, mas com uma envolvência soberba. Somos acompanhados durante os quilómetros seguintes pela serra das Talhadas que nos olha sobranceira. Começa aqui a principal subida do dia. São 5 quilómetros sempre a subir que nos levam dos 142 aos 444 metros, o ponto mais alto da nossa corrida. Desse ponto até ao final, foi quase sempre a descer ou a direito sem grandes subidas. O caminho que acompanha um riacho durante algum tempo, levou-nos de volta ao início perfazendo a volta um total de quase 10 quilómetros. Ficámos com a impressão que nos tínhamos enganado em algum sítio, ou então é outro dos muitos percursos marcados que por ali há. Quando voltámos ao início resolvemos começar tudo de novo e continuar a diversão. Foram 19 quilómetros de puro prazer e diversão com 1007 metros de acumulado positivo, 997 negativo em 2.08 h onde ainda houve tempo para umas fotos e um filme só para dar ideia da parte inicial. Ficou prometido o regresso para explorar tudo o resto que por ali há. E há lá tanto.



    os vídeos  

video

1 comentário:

Anónimo disse...

há gajos sem juizinho nenhum !
Fonix ! que kromos ! Ferrão vai aprender a respirar !